Fazendo um grande estudo sobre a existência de anjos e demônios, resolvi fazer uma pequena entrevista com cinco jovens e fiquei extremamente satisfeita com as respostas que obtive. Pra vocês, curiosos de plantão, ai vão os fragmentos da minha entrevista!

Bom, a primeira pergunta foi sobre a religião. Quis saber entre todos os entrevistados se eles acreditavam em algo e seguiam alguma doutrina. Todos responderam que sim, embora três deles disseram não seguir prontamente sua fé. A segunda pergunta foi: “Sua religião responde as suas duvidas e perguntas de uma maneira que te faz compreender totalmente?” Ai o bicho pegou. As respostas variaram muito, e aqueles que diziam freqüentar sua Igreja ou Templo constantemente disseram “Sim”. Nas demais respostas, obtive: “Não”, “Não totalmente” e “Nunquinha.”

Seguindo nessa linha, cheguei finalmente ao objetivo da pesquisa. A pergunta central da entrevista: “Você acredita na existência de anjos e demônios?” 100% das respostas positivas. Sobre elas, discursei um pouco mais com dois entrevistados.

O primeiro me disse :

- Creio nos dois, e procuro me cercar apenas dos anjos. Não acredito que possam ser convencidos pelo oposto, de maneira que os anjos serão sempre anjos, e os demônios sempre demônios.

Esse entrevistado me confirma assim a existência de duas forças no mundo, onde uma “moralmente” vence a outra. Infelizmente, só não me explicou de que maneira. A outra entrevistada, disse me:

- Acredito na existência dos dois, mas não creio que haja um confronto entre eles. Os anjos não se preocupariam em destruir o mal; mas no caso disso ser possível, eles não se utilizariam  a força de domínio para com os demônios. Isso seria contra as regras dos anjos.

Todos concordaram na influencia que os chamados “anjos” e “demônios” exercem em nossa vida e pensamentos. Os anjos sempre protegendo, e os demônios sempre esperando um vacilo nosso pra nos abocanhar. Entretanto, quatro dos cinco entrevistados negaram a possibilidade de um anjo vir um dia a se sujeitar ao mal, ou de um demônio se arrepender e vir a praticar o bem, algum dia. A outra entrevistada ficou meio em cima do muro. Todos consideraram a religião super importante em sua vida, e de um modo geral, na vida de todos os jovens. Quatro dos entrevistados concluíram que independente da religião, ela é importante na vida do jovem. Apenas um divergiu na resposta. Gostaria de colocá-la aqui:

- A religião é importante, mas depende de qual seja, pois algumas não pregam sobre o Deus verdadeiro. Tem umas que estão presas a um deus ou santo que não existe.

A ultima pergunta foi a mais difícil da galera responder. Era ela:

“Qual você considera o melhor caminho a Deus/ Jesus/ Allah/ A Deusa (ou seu deus espiritual?) As respostas foram, contra tudo que eu esperava, diferentes. É claro que a resposta “fazer o bem” foi meio que predominante, mas também consegui outras respostas, como :

- Eu acredito em Deus e dedico minhas conquistas a ele. Peço forças para superar as coisas e me abençoar sempre, me abençoar e a todos. Deus é mais ou menos isso na minha vida.

Ou essa resposta muito curiosa, e completamente real:

- Tanto faz, o melhor caminho é o do bem, não adianta nada ir pra Igreja todo domingo e praticar o mal.

E pra finalizar esse interrogatório religioso, quis enviar pros meus entrevistados um vídeo de uma banda chamada AD

– “Call my name” que retrata um pouco da projeção astral (tratada no DalheMongo) durante o sono, e algumas questões espirituais, como a proteção do anjo da guarda (mentor espiritual) e presença dos demônios (obssessores). Infelizmente só duas do pessoal conseguiram ver o vídeo, e pedi a elas que me dissessem o que acharam dele, o que consideravam fantasia ou realidade, se acreditavam ou não. Vai ai a resposta:

- Caraca, muito bom o vídeo.Amei! Sabe teve uma vez que tive a sensação de que isso aconteceu comigo? Ai fiz umas pesquisas e falava que isso acontece muito em sonhos, quando nossa alma fica vagando enquanto o corpo descansa.Mas não sei se é realmente isso, sabe como é Internet  né!

- Bom, sendo verdade ou não, com edições ou não, eu acredito nisso.

(Esclarecimentos: os nomes e religiões dos entrevistados foram protegidos, e em momento algum a entrevista tomou caráter de discussão. Foi tudo numa boa, o pessoal não se importou em responder nenhuma questão e concordou que suas respostas fossem colocadas aqui. Gostaria de agradecer mais uma vez a todos aqueles que participaram e deram sua opinião. Valeu mesmo, gente!)

Conclusões:

Foi possível observar claramente nas palavras de cada um sua percepção sobre religião. Alguns não sabiam o que responder sobre ela, e foram varias as respostas como “sei lá”, “não sei bem como explicar”. Isso não esta errado em nenhum dos casos, muito pelo contrario. Eles foram sinceros o suficiente pra dizer que não sabiam de alguns assuntos, e que não se interessavam por eles.

A maneira como os anjos e demônios são vistos ainda é um pouco turva. Nenhum deles conseguiu explicar completamente o que seriam esses seres, e a maneira como eles agem.De acordo com o pessoal,eles, que para nos são os espíritos classificados como superiores e inferiores, estão por toda parte tentando corromper os encarnados. E segundo o pessoal, o confronto entre o bem e o mal seria ideológico.

Desenvolvendo um ponto de vista espírita sobre isso, não haveria propriamente um confronto. E nesse caso, o lado do bem, os espíritos do bem, jamais se utilizariam da força ou do pensamento de destruição para com o mal. Ao contrario, o amor é a maneira de livrar o mundo dos pensamentos negativos e das atitudes malignas. Reforçando esse ponto de vista espírita, mostrando que apenas com o bem e o amor podemos vencer “as forças do mal que tentam dominar o mundo”, mas não vencê-las de uma maneira destrutiva, tipo, “Somos o bem, você é o mal, caia fora!”, mas sim “Hei, somos irmãos, filhos do mesmo Deus, não há motivos para tanto ódio, porque não se junta a nos, vamos formar um cordão de luz”.

Mais do que conclusiva, essa pesquisa foi incrivelmente essencial para ampliarmos nossos conhecimentos sobre a religião, a sociedade e o mundo. Essencial para concluirmos que tudo nos leva a um único pensamento, a um mesmo Deus, e acima de tudo, nos respeitamos da maneira como somos e pensamos, constituindo assim esse mundo de provas e escolhas, onde com certeza, com o simples fato de darmos as mãos e nos unirmos, poderemos sim, vencer as forças do mal e melhorar o mundo.

Helena Vitorino, SP-Sul.

    Tagged with:
     

    Gostou? Então dá uma olhada nesses:

    1. O que você achou dessa versão de Anjos da Paz?

    7 Responses to Pesquisa: Anjos e Demônios

    1. Yuri Duarte Corrêa says:

      Helena,

      Gostei muito da sua capacidade investigativa. A idéia pode crescer em diversos aspectos.

      Já pensaram se conseguirmos fazer uma pesquisa dessas no EGM? Seria bem legal, e poderíamos avaliar as opiniões de nossos alunos e dirigentes em diversos aspectos.

      Parabéns.

    2. Helena Vitorino says:

      Yuri, muito obrigada. Realmente, eu gostei muito de fazer a pesquisa, alem de me servir de auxilio, creio que ajudou muita gente. Planos e mais planos para o EMG. :)

    3. Helena Vitorino says:

      Planos para o EMG :)

    4. Yasmim says:

      eu gos tei de saber de tudo iso

    5. samuel says:

      tenho 8 anos nao itedo muito sobre anjos mais gosto muito deles agora eu tenho medo dos demonio mamae e espirita por isso eu acredito ifico fasinado quado lelho aguma coiso que fala sobro espiritoalismo

    6. samantha kalitha says:

      tenho10ano sou irmae de samuel sou ispirita estudo alan kardec eu acredito nos anjos sempre mamae fala durma com os anjos poriso sempre sonho com eles tenho medo dos demonio.

    7. Giovana says:

      Muito bom,achei muito legal!!

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

    • Twitter
    • Facebook
    • Picasa
    • YouTube